Marketing que eSPAMta ou encanta?

Descubra como investir em iniciativas de atração de novos consumidores, investindo os recursos que tem em mãos para garantir o maior impacto

Muito comum hoje em dia, é utilizarmos meios digitais como Whatsapp, Facebook e E-mail para se comunicar com clientes, divulgar ofertas e outras informações. Por mais que temos boas intenções, se não fizemos da maneira correta o resultado será negativo. Compartilhamos uma matéria super interessante, que fala muito bem sobre esse assunto.

Abaixo a matéria do Fred Alecrim, do site www.endeavor.org.br.

Ter um negócio com sucesso sustentável é um grande desafio para os empreendedores e suas equipes. Abrir uma empresa é uma coisa, ter sucesso com ela é outra. E fazer esse sucesso ser sustentável exige muito do empreendedor desde do seu Day 1 e sempre. O marketing e suas ferramentas podem ser fortes aliados nesta jornada desafiadora que é empreender. Afinal de contas, de que adianta ter um modelo de negócio disruptivo, um produto fantástico, se ninguém sabe que ele existe?

Ao mesmo tempo que sabemos a importância de comunicar e se relacionar, também sabemos que é preciso muito cuidado para não errar na dose e, em vez de atrair a atenção e o interesse das pessoas, gerar repulsa, prejudicando, inclusive, a imagem e a saúde do seu negócio.

É muito comum, por exemplo, sermos inseridos em grupos de WhatsApp e Facebook. Não há nada de mal nisso, o problema é como algumas empresas e profissionais estão fazendo isso.

"Tenho percebido um exagero no uso do que chamo Marketing que eSPAMTa."

Ah, já percebeu onde quero chegar né? Tenho certeza de que você já foi vítima dessa prática inoportuna e já se viu em grupos e listas de transmissão de WhatsApp sem nem saber do que se trata. E o que é pior: muitas vezes quem usa e abusa dessas práticas não nos dá alternativa de como sair.


E recorrentemente, o que já aconteceu comigo, quando saímos do grupo, somos colocados lá de novo e de novo e de novo. Sinto aquela sensação que estou em um mundo paralelo no qual não quero estar, mas que alguma “força oculta” insiste em me manter por lá.

Por incrível que pareça, o SPAM é uma prática muito comum.

"Para mim, SPAM significa Sem Permissão para se Aproximar de Mim".

E se um profissional ou uma empresa não tem essa permissão, tudo o que fizer vai ser visto como ruído ou atrapalho de vida.

  • Confira alguns exemplos de SPAM’s clássicos (e veja se sua empresa já praticou algum deles);
  • Incluir pessoas sem a sua permissão em grupos e listas de transmissão;
  • Enviar e-mails sem permissão e sem foco, ou seja com assunto que nada interessa a quem irá recebê-lo;
  • Enviar mensagens diretas via Facebook, Twitter e Instagram ofertando produtos de forma ostensiva para pessoas que não são do seu círculo de relacionamento pessoal ou profissional;
  • Marcar pessoas que não conhece em fotos nas redes sociais;
  • Disparar pedidos de emprego, no LinkedIn, para pessoas que você não conhece;
  • Ligar para pessoas sem seu consentimento e sem pedir permissão e já engrenar um papo para vender algo;
  • Enviar mensagens impessoais, com cara de envio em massa.

É claro que para se configurar um SPAM, tem que haver algumas características na sua ação:

  • Você não conhece a pessoa e não tem a sua permissão para enviar mensagens, e-mails ou para fazer ligações para ele;
  • Você não deixa claro e não facilita para que a pessoa saia da sua lista, grupo ou pare de receber as ligações da sua empresa;
  • Você não tem a mínima ideia se aquela pessoa é um cliente em potencial para o que você está comunicando.


E aí, você tem praticado muito SPAM?


Acho que o pior dos mundos é quando a empresa não deixa de importunar as pessoas. Pode ser que você mande um e-mail ou inclua a pessoa em uma lista de transmissão e ela acabe gostando do que viu, mas caso não goste — o que é a maioria dos casos — que ela possa parar de ser incomodada com algo que não é do seu interesse. Deixe o caminho de saída em um lugar visível e faça a saída ser tão simples quanto foi para você incluir ele nas suas listas.


Acredito que comunicação e relacionamento são base para um marketing bem executado e que gera resultados sustentáveis para os negócios. Logo, o SPAM é o oposto disso, concorda? Quando importunamos alguém, estamos prejudicando o relacionamento — e quanto melhor o relacionamento, mais permissão as pessoas darão para você e sua marca. Lembre-se que hoje os negócios estão disputando antes de mais nada a atenção das pessoas em mundo que é um mar de informações e ruídos. Chamar atenção não é mais suficiente, até porque para muita gente chamar atenção é fazer barulho, é praticar um marketing que muitas vezes vem por meio de SPAM.

"Chamar atenção evoluiu para atrair atenção e para isso é preciso ser relevante no seu conteúdo, criativo no visual e educado na comunicação, que ainda precisa ser personalizada".

Depois de atrair a atenção, é preciso continuar evoluindo. Além de dar a devida atenção aos seus clientes, não deixe de cuidar com atenção dele e da experiência dele com o seu negócio. Quanto mais cuidado, maiores as chances de fazer negócio por mais tempo. Por fim, depois de conquistar a atenção das pessoas por causa de suas boas práticas de marketing, é importante continuar sendo merecedor dessa atenção; É aqui que está a chave para os resultados sustentáveis, afinal tudo o que você fizer vai ter a permissão prévia do cliente, logo, por não ser SPAM, aumenta e muito as chances de impactar mais pessoas e obter mais resultados em cada contato.

Em vez de praticar o marketing que eSPAMta, pratique o marketing que encanta!

Gostou? Leia a matéria completa aqui: http://migre.me/w6RCw

 

 

Aguarde, carregando...