Os perigos de misturar os gastos pessoais com os da empresa

Os perigos de misturar os gastos pessoais com os da empresa

As maiores causas de falência em micro e pequenas empresas são por problemas financeiros, geralmente causados por falhas na gestão ou pela falta dela. É muito comum as empresas passarem por dificuldades, e pela falta de gestão acabam não sabendo onde está o problema e muito menos o que fazer para solucionar. Diante disso, seguem cometendo os mesmos erros até que a única alternativa seja o fechamento da empresa.

Muitas vezes esses problemas são causados pela mistura de contas pessoais com contas da empresa. Em geral, isso ocorre devido aos proprietários não definirem um salário fixo (Pró-labore) para si, e acabarem pagando suas contas particulares com o dinheiro da empresa.

Essa falta de separação de contas é um grande risco, pois dessa forma fica muito mais difícil de identificar quais são as entradas e saídas reais da empresa, analisar resultados e traçar planos e metas. A falta de organização financeira leva à perda total de controle financeiro da empresa, pois com a mistura de gastos o proprietário tem a impressão de que a empresa não está lucrando o suficiente, e acaba tomando decisões erradas por isso. Em alguns casos, a empresa gera lucro, está equilibrada, porém quem compromete com a saúde financeira da empresa é o próprio empresário, retirando dinheiro descontroladamente para pagar contas pessoais.

Se você se identificou com essas situações, cuidado, você está sendo prejudicial à própria empresa. Veja que, com essas pequenas dicas você facilmente solucionará isso na sua empresa:

Faça uso de um ERP – se você ainda não tem um ERP, adquira rapidamente um. Se já possui, use-o para gerir sua empresa. Chega de pensar que colocar sistema na empresa é só para pagar mais impostos ou cumprir com obrigações fiscais. Entenda que um bom sistema de gestão é investimento, ele lhe trará retorno a curto, médio e longo prazo. É impossível gerir uma empresa, torná-la competitiva, sem ter informações e controle.

Defina seu salário – sua empresa não é uma fonte de dinheiro, você não pode fazer retiradas a qualquer momento que precisar. Os sócios precisam ter seus salários definidos, e devem ser compatíveis com o mercado, porte da empresa e o tempo que você se dedica a ela. Nem sempre o salário que você deseja é o que a empresa consegue pagar. Quer um salário dos sonhos? Primeiro faça sua empresa ter liquidez suficiente.

Separe seu salário do pagamento de investimento – o dinheiro que você investiu na empresa, qual ela irá lhe pagar com o passar do tempo, é diferente do seu salário. Se você é um sócio investidor e também trabalha diretamente na empresa, entenda que o seu salário é uma coisa e o pagamento desse investimento é outra. Mas se você é apenas um sócio investidor você não tem direito a salário, o que você irá receber é o pagamento pelo dinheiro investido e a liquidez do investimento. Tenha isso bem definido na gestão da empresa.

Seguindo esses passos será possível analisar qual é a situação financeira real da empresa e entender melhor quais são suas entradas e saídas e medir seu resultado. A organização financeira é imprescindível para um negócio de sucesso.

Compartilhe
  • Dicas